A ESTRÁTEGIA DA GASTRONOMIA FUNCIONAL NO ENFRENTAMENTO AS ALERGIAS ALIMENTARES: UMA REVISÃO DE LITERATURA

Sarah Olívia Gomes CHAVES, José Filipe TAVARES

Resumo


A alergia alimentar pode ser definida por uma mediação da imunoglobulina E (IgE) que, em contato com os epítopos da proteína, desenvolvem sinais e sintomas desagradáveis ao indivíduo, podem eles surgir na pele, trato gastrointestinal ou respiratório. É caracterizada e mediadas por IgE, não mediadas por IgE ou mediadas por IgE e por hipersensibilidade celular. Com o desenvolvimento de alimentos e mudanças no padrão alimentar da população desencadeando vários fatores, dentre eles a alergia alimentar pela a introdução cada vez mais cedo do uso de alimentos industrializados nas refeições. A Gastronomia Funcional tem sido uma aliada para a substituição dos alimentos alérgenos. Desta forma, o presente estudo objetivou discutir a estratégia da Gastronomia Funcional na preparação alimentar para pessoas alérgicas. Trata-se de uma pesquisa bibliográfica realizada a busca de artigos publicados entre 2014 e 2018 nas bases científicas SciELO, PubMed e Google Acadêmico, através dos descritores “alergia alimentar”, “Gastronomia Funcional” e “alimentos funcionais”. Como conclusão do trabalho notou-se que a Gastronomia Funcional auxilia na substituição de alimentos, mas o indivíduo não pode fazer essas permutas de forma aleatória, pois só o nutricionista tem ferramentas para equilibram de forma correta os nutrientes da alimentação, tornando assim uma alimentação balanceada e saudável.

Palavras-chave: Alérgeno; Imunoglobulina E; Alimentos Funcionais.


Texto completo:

PDF

Referências


ABRAMS, E.M; SICHERER, S.H. Diagnosis and management of food allergy. CMAJ, v. 188, n. 15, p. 1087-1093, 2016.

AGUIAR, A.L.O. et al. Avaliação clínica e evolutiva de crianças em programa de atendimento ao uso de fórmulas para alergia à proteína do leite de vaca. Revista Paulista de Pediatria, v. 31, n. 2, p. 152-158, 2013.

ALDURAWISH, S.A. et al. The march from early life food sensitization to allergic disease: a systematic review and meta‐analyses of birth cohort studies. Allergy, v. 71, n. 1, p. 77-89, 2016.

ALLEN, K.J; KOPLIN, J.J. Perspectivas para prevenção de alergia alimentar. O Jornal de Alergia e Imunologia Clínica: Na Prática, v. 4, n. 2, p. 215-220, 2016.

AMARAL, L.C.S et al. Percepção dos acadêmicos de saúde portadores de alergia alimentar sobre a sua patologia. Revista Ciência e Saberes, v.4, n. 1, p. 808-814, 2018.

ANVISA- BRASIL.AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA. Lista de alegações de propriedade funcional aprovadas. Disponível em:

< https://www.gov.br/agricultura/pt-br/assuntos/inspecao/produtos-vegetal/legislacao-1/biblioteca-de-normas-vinhos-e-bebidas/alegacoes-de-propriedade-funcional-aprovadas_anvisa.pdf> Acesso: 28 de outubro de 2019.

BENEDÉ, S. et al. The rise of food allergy: environmental factors and emerging treatments. EBioMedicine, v. 7, p. 27-34, 2016.

CHINTHRAJAH, R.S et al. Diagnosis of food allergy. Pediatric Clinics, v. 62, n. 6, p. 1393-1408, 2015.

COSTA, E.RC.Turismo Gourmand: o luxo e a gastronomia como vetores para o apetite de viajar. Turismo e Sociedade, v. 5, n. 1, 2012.

COSTA, N.M.B; ROSA, C.O.B. Alimentos funcionais: componentes bioativos e efeitos fisiológicos. Editora Rubio, 2016.

DHANAPALA, P.Cracking the egg: An insight into egg hypersensitivity. Molecular immunology, v. 66, n. 2, p. 375-383, 2015.

DUTOIT, G. et al. Prevenção de alergia alimentar. Jornal de Alergia e Imunologia Clínica, v. 137, n. 4, p. 998-1010, 2016.

FERNANDES, E.C.S et al. Saberes e fazeres da gastronomia tradicional: um estudo sobre as características histórico-culturais aplicadas a produção do “doce de espécie” no município de Alcântara/MA. Ágora, v. 19, n. 1, p. 85-99, 2017.

GIBSON, P. R. História da dieta baixa em FODMAP. Journal of gastroenterology and hepatology, v. 32, p. 5-7, 2017.

GRAY, C.L. et al. Epidemiologia da alergia alimentar mediada por IgE. SAMJ: Revista Médica da África do Sul, v. 105, n. 1, p. 68-69, 2015.

GREER, F. R. et al. Effects of early nutritional interventions on the development of atopic disease in infants and children: the role of maternal dietary restriction, breastfeeding, timing of introduction of complementary foods, and hydrolyzed formulas. Pediatrics, v. 121, n. 1, p. 183-191, 2008

HILL, D. A et al. The epidemiologic characteristics of healthcare provider-diagnosed eczema, asthma, allergic rhinitis, and food allergy in children: a retrospective cohort study. BMC pediatrics, v. 16, n. 1, p. 133, 2016.

KAPOOR, S. et al. Influence of a multidisciplinary paediatric allergy clinic on parental knowledge and rate of subsequent allergic reactions. Allergy, v. 59, n. 2, p. 185-191, 2004.

KLOTZ-SILVA, J. et al. A força do" hábito alimentar": referências conceituais para o campo da Alimentação e Nutrição. Physis: Revista de Saúde Coletiva, v. 27, p. 1065-1085, 2017.

KOLETZKO, S. et al. Diagnostic approach and management of cow's-milk protein allergy in infants and children: ESPGHAN GI Committee practical guidelines. Journal of pediatric gastroenterology and nutrition, v. 55, n. 2, p. 221-229, 2012.

KOPLIN, J et al. Epidemiology of food allergy and food-induced anaphylaxis: is there really a Western world epidemic?. Current opinion in allergy and clinical immunology, v. 15, n. 5, p. 409-416, 2015.

LEUNG, A.S.Y et al. Food allergy in the developing world. Journal of Allergy and Clinical Immunology, v. 141, n. 1, p. 76-78. e1, 2017.

LIRA, A.G et al. Uso de redes sociais, influência da mídia e insatisfação com a imagem corporal de adolescentes brasileiras. Jornal Brasileiro Psiquiatria, v. 66, n. 3, p. 164-71, 2017.

MARTINS, M.F. Food Design–relacionamento entre alimento e o homem. 2016.

MATRICARDI, P.M et al. Guia do usuário de alergologia molecular da EAACI. Pediatric Allergy and Immunology, v. 27, p. 1-250, 2016.

MCGOWAN, E.C. et al. Influência de exposições precoces na sensibilização e alergia alimentar em uma coorte de nascimentos no centro da cidade. Jornal de Alergia e Imunologia Clínica, v. 135, n. 1, p. 171-178, 2015.

MEDEIROS, Lilian CS et al. Ingestão de nutrientes e estado nutricional de crianças em dieta isenta de leite de vaca e derivados. J Pediatr (Rio J), v. 80, n. 5, p. 363-70, 2004.

MINATEL, I.O et al. Teste Cutâneo na Avaliação do Paciente com Rinite Alérgica e sua Relação com o Estado Nutricional. Revista Brasileira Multidisciplinar, v. 9, n. 1, p. 199-202, 2005.

MORIYAMA, T. Diversidade de alergia alimentar. Revista de ciência nutricional e vitaminaologia , v. 61, n. Suplemento, p. 106-108, 2015.

NOWAK-WĘGRZYN, A. et al. Alergia alimentar gastrointestinal não mediada por IgE. Jornal de Alergia e Imunologia Clínica, v. 135, n. 5, p. 1114-1124, 2015.

OLIVEIRA, A.R.V et al. Alergia alimentar: prevalência através de estudos epidemiológicos. Revista de ciências da saúde Nova Esperança, v. 16, n. 1, p. 7-15, 2018.

PADUA, I. et al. Food allergy: practical approach on education and accidental exposure prevention. European annals of allergy and clinical immunology, v. 48, n. 5, p. 174-181, 2016.

RODRIGUES, C.; DOVERA, J.S; OUKI, T.M.M. Gastronomia funcional. 2016.

SALGADO, J. Alimentos funcionais. Oficina de Textos, 2016.

SAMPSON, H.A. Alergia alimentar: passado, presente e futuro. Allergology International , v. 65, n. 4, p. 363-369, 2016.

SARAIVA, C.N.O et al. Gastronomia como vetor de desenvolvimento: um resgate histórico no município de São Borja. Ágora, v. 18, n. 1, p. 87-98, 2016.

SAVAGE, J.; JOHNS, C.B. Food allergy: epidemiology and natural history. Immunology and Allergy Clinics, v. 35, n. 1, p. 45-59, 2015.

SIEMENS HEALTHCARE. Laboratorian Information. Acesso em: 28 de outubro de 2019.

SIMON, D. et al. Eosinophilic esophagitis is characterized by a non‐IgE‐mediated food hypersensitivity. Allergy, v. 71, n. 5, p. 611-620, 2016.

SILVA, A.C.C et al. Alimentos Contendo Ingredientes Funcionais em sua Formulação: Revisão de Artigos Publicados em Revistas Brasileiras. Revista Conexão Ciência, v. 11, n. 2, p. 133-144, 2016.

SOLÉ, D. et al. Consenso Brasileiro sobre Alergia Alimentar: 2018-Parte 1-Etiopatogenia, clínica e diagnóstico. Documento conjunto elaborado pela Sociedade Brasileira de Pediatria e Associação Brasileira de Alergia e Imunologia. Brazilian Journal Allergy and Immunology, v. 2, n. 1, p. 7-38, 2018.

SOUZA, N. et al. Nutrição Funcional: Princípios e Aplicação na Prática Clínica. Acta Portuguesa de Nutrição, n. 7, p. 34-39, 2016.

THOMSEN, S. F. Epidemiology and natural history of atopic diseases. European clinical respiratory journal, v. 2, n. 1, p. 24642, 2015.

TORDESILLAS, L. et al. Imunologia da alergia alimentar. Immunity , v. 47, n. 1, p. 32-50, 2017.

TURNER PJ, et al. Aumento de hospitalizações relacionadas à anafilaxia, mas nenhum aumento de fatalidades: uma análise dos dados nacionais de anafilaxia do Reino Unido, 1992–2012. J. Allergy Clin. Immunol. 2015; 135 : 956–96.




Revista Diálogos em Saúde

ISSN: 2596-206X

Centro Universitário Uniesp

Rodovia BR 230, Km 14, s/n, Morada Nova. Cabedelo - PB. CEP 58109-303