PROCEDIMENTOS ESTATÍSTICOS APLICADOS À FALA DO INGLÊS COMO LÍNGUA ESTRANGEIRA

Maria Guadelupe Dourado Rabello, Leônidas José da Silva Junior

Resumo


Em virtude de dificuldades enfrentadas em se estruturar, quantificar, analisar, interpretar e reportar resultados de pesquisas em língua estrangeira (L2) de um ponto de vista analítico-sistemático, o presente artigo tem como objetivo mostrar como a matemática aplicada (via procedimentos estatísticos) pode realizar uma interface com a fonética e a fonologia de L2 a partir da análise da produção/não-produção da fricativa interdental não-vozeada /θ/ do inglês por alunos brasileiros de diferentes graus de escolaridade e, desta forma, potencializar as tomadas de decisão quanto à feitura de inferências por parte do pesquisador acerca do fenômeno.. Na Metodologia, realizamos um teste de Qui-quadrado tomando o valor proporcional das ocorrências de /θ/ e o grau de escolaridade (ensino fundamental, médio e superior) dos alunos. Nossos resultados apontaram que há uma correlação entre a (não) produção e o grau de escolaridade dos participantes. Com as observações realizadas a partir da estatística de testes, bem como, dadas as limitações deste estudo, podemos concluir que o fator escolaridade foi preponderante para a realização do referido segmento no inglês como L2.

 

PALAVRAS-CHAVE: Procedimentos estatísticos; Fala em língua estrangeira; Interdisciplinaridade.


Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA FILHO, J. C. Dimensões comunicativas no ensino de línguas. 4. ed. Campinas: Pontes, 2007.

ALVES, A. Produção da fricativa interdental não vozeada do inglês /θ/ por aprendizes brasileiros através do desenvolvimento da consciência fonológica. In: HORA, D.; PEDROSA, J.; LUCENA, R. (Ed.). Cuadernos de la Alfal: estudos linguísticos: da aquisição ao uso, Santiago, v. 1, n. 12, p. 179-193, mai. 2020.

ALVES, A.; SILVA JR, L. Percepção-produção da fricativa interdental surda do inglês /θ/ tendo como suporte o desenvolvimento da consciência fonológica. Leia Escola, v. 17, 2017, p. 90-100. Disponível em: . Acesso em: 16 mai. 2021.

BARBOSA, P. Considerações sobre as fricativas /θ, f/ [Mensagem pessoal]. Mensagem recebida por: leonidas.silvajr@gmail.com. 27 mai. 2021.

BARBOSA, P.; MADUREIRA, S. Manual de Fonética Acústica Experimental: aplicações a dados do português. São Paulo: Cortez, 2015.

BATES, E.; MacWHINNEY, B. Functionalism and the Competition Model. In: MacWHINNEY, B.; BATES, E. (Ed.). The crosslinguistic study of sentence processing. New York: Cambridge University Press, 2989. p. 3-76.

BEST, C. A direct realist view of crosslanugage speech perception. In: STRANGE, W. (Ed.). Speech perception and linguistic experience: theoretical and methodological issues. Timonium: York Press, 1995. p. 171-204.

BEST, C.; TYLER, M. Nonnative and second-language speech perception: Commonalities and complementarities. In: MUNRO, J.; BOHN, O-S (Ed). Second language speech learning: The role of language experience in speech perception and production. Amsterdam: John Benjamins, 2007. p. 13–34.

BROWN, C. The interrelation between speech perception and phonological acquisition from infant to adult. In: ARCHIBALD, J. (Ed.), Second language acquisition and linguistic theory. Oxford: Blackwell, 2000. p. 4–63.

BROWN, J. Understanding Research in Second Language Learning. Cambridge: Cambridge University Press, 1988.

CEDERGREN, H.; SANKOFF, D. Variable rules: performance as a statistical reflection of competence. Language, v. 50, p. 333–355, 1974. Disponível em: . Acesso em: 02 mai. 2020.

EDWARDS, J.; ZAMPINI, M. Phonology and Second Language Acquisition. Amsterdam: John Benjamins Publishing Co., 2008.

ESCUDERO, P. Linguistic perception and second language acquisition: Explaining the attainment of optimal phonological categorization. Tese (Doutorado em Linguística). Netherlands Graduate School of Linguistics, Utrecht University, Utrecht, 2005. Disponível em: < https://www.researchgate.net/publication/27690636_Linguistic_perception_and_second_language_acquisition_Explaining_the_attainment_of_optimal_phonological_categorization >. Acesso em: 18 set. 2020.

EVERITT, B.; HOTHORN, T. A Handbook of Statistical Analyses Using R. New York: Chapman & Hall/, 2006.

FAYOL, M. Numeramento: aquisição das competências matemáticas. Tradução de BAGNO, M. São Paulo: Parábola, 2012. Título original: L'acquisition du nombre.

FLEGE, J. Second Language Speech Learning: Theory, findings, and problems. In:

STRANGE, W. (Ed.). Speech perception and linguistic experience: issues in crosslanguage research. Timonium: York Press, 1995. p. 233-277.

FLEGE, J. Phonetic approximation in second language acquisition. Language Learning, v. 30, p. 117-134, 1980. Disponível em: . Acesso em: 04 abr. 2021.

GRIES, S. Statistics for Linguistics with R: A Practical Introduction. Berlin: Mouton de Gruyter, 2009.

GROSJEAN, F. Bilingualism: a short introduction. In: GROSJEAN, F.; LI, P. The Psycholinguistics of Bilingualism. Oxford: Wiley-Blackwell, 2013. p. 5-26.

GROSJEAN, F. Studying bilinguals. Oxford: Oxford University Press, 2008.

GUY, G; ZILLES, A. Sociolinguística quantitativa: instrumental de análise São Paulo: Parábola, 2007.

HANCIN-BHATT, B. Second language phonology in optimality theory. In: EDWARDS, J.; ZAMPINI, M. (Ed.). Phonology and Second Language Acquisition. Amsterdam: John Benjamins Publishing, 2008. p. 117-146.

HOCKETT, C. Language, Mathematics and Linguistics. The Hague: Mouton, 1967.

JENKINS, J. English as a Lingua Franca: Attitude and Identity. Oxford: Oxford University Press, 2008.

JENKINS, J. The Phonology of English as an International Language. Oxford: Oxford University Press, 2000.

KENT, R.; READ, C. The Acoustic Analysis of Speech. New York: Cengage Learning, 1992.

KUHL, P.; IVERSON, P. Linguistic experience and the “perceptual magnet effect”. In: STRANGE, W. (Ed.). Speech perception and linguistic experience: issues in crosslanguage research. Timonium: York Press, 1995. p. 121-154.

LABOV, W. Padrões Sociolinguísticos. Tradução BAGNO, M. São Paulo: Parábola, 2008. Título original: Sociolinguistic Patterns.

LABOV, W. Contraction, deletion, and inherent variability of the English copula. Language, v. 45, p. 715–762, 1969. Disponível em: . Acesso em: 02 mai. 2020.

LADEFOHED, P. Phonetic Data Analysis. An introduction to fieldwork and instrumental techniques. Malden: Blackwell Publishing, 2003.

LADEFOGED, P.; DISNER, S. Vowels and Consonants. 3 ed. West Sussex: Wiley-Blackwell, 2012.

LADEFOGED, P.; JOHNSON, K. A Course in Phonetics. 6 ed. Boston: Wadsworth, 2011.

LOMBARDI, L. Second language data and constraints on manner: Explaining substitutions for the English interdentals. Second Language Research, v.19, p. 225–250, 2003. Disponível em . Acesso em: 08 mai 2021.

LOWIE, W.; SETON, B. Essential Statistics for Applied Linguistics. Ney York: Palgrave Macmillan, 2013.

MAJOR, R. Transfer in second language phonology: A review. In: EDWARDS, J.; ZAMPINI, M. (Ed.). Phonology and Second Language Acquisition. Amsterdam: John Benjamins Publishing, 2008. p. 63-84

MASCHERPE, M. Análise comparativa dos sistemas fonológicos do inglês e do português: classificação dos erros prováveis com sugestões para uma aplicação pedagógica. São Paulo: Empresa Gráfica das Revistas dos Tribunais, 1970.

MONTEIRO, J. Para compreender Labov. Petrópolis: Editora Vozes, 2000.

MOUREIRA, I. A. Produção da fricativa interdental surda /θ/ por aprendizes de inglês como segunda língua. 38f. Monografia de Graduação (Licenciatura em Letras-inglês) –Universidade Estadual da Paraíba, Guarabira, 2017.

MUNRO, M.; DEWRING, T. Segmental acquisition in adult ESL learrners. A longitudinal study of vowel production. Language Learning, v. 58, p. 479-502, 2008. Disponível em: . Acesso em: 08 mai 2021.

OLIVEIRA, L. Ensino de língua para jovens e adultos na escola pública. In: LIMA, D. (Ed.). Ensino e aprendizagem de língua inglesa: conversa com especialistas. São Paulo: Parábola, 2009. p. 21-31.

OLIVEIRA, C.; CORDANI, L. Julgando sob incerteza: heurísticas e vieses e o ensino de probabilidade e estatística. Educ. Matem. Pesq, São Paulo, v. 18, p. 1265-1289, 2016. Disponível em: < https://revistas.pucsp.br/index.php/emp/article/download/31484/21943#:~:text=Julgando%20sob%20Incerteza%3A%20O%20Programa%20Heur%C3%ADsticas%20e%20vieses&text=Os%20mesmos%20autores%2C%20Kahneman%20e,uma%20variedade%20de%20padr%C3%B5es%20mentais.>. Acesso em: 02 dez. 2020.

OUSHIRO, L. Introdução à Estatística para Linguistas, v 1.0.1, Zenodo, 2017. Disponível em: . Acesso em: 22 jan. 2019.

OWENS JR., R. Language development: an introduction. 8 ed. Boston: Pearson Education, 2012.

PARTEE, B.; TER MEULEN, A.; WALL, R. Mathematical Methods in Linguistics. Dordrecht: Kluwer Academic Publishers, 1993.

R CORE TEAM: R. A Language and Environment for Statistical Computing. Vienna: R Foundation for Statistical Computing, 2021.

RAMOS, E. Transferência fonológica no ensino de língua inglesa. In: LIMA, D. (Ed.). Ensino e aprendizagem de língua inglesa: conversa com especialistas. São Paulo: Parábola, 2009. p. 53-58.

SANKOFF, D. Statistics in Sociolinguistics. In: MESTHRIE, R. (Ed.). Concise Encyclopedia of Sociolinguistics. Oxford: Elsevier, 2001, p. 828-834.

SELL, F.; GONÇALVES, A. Sociolinguística. Indaial: Uniasselvi, 2011.

SELINKER, L. Interlanguage. International Review of Applied Linguistics, v. 10, p. 209-231, 1972. Disponível em: . Acesso em: 09 mai 2021.

SHADLE, C.; MAIR, S. Quantifying Spectral Characteristics of Fricatives. In: Proceeding of Fourth International Conference on Spoken Language Processing, Philadelphia, v. 3, p. 1521-1524, 1996. Disponível em: . Acesso em: 09 mai 2021. D.O.I: 10.1109/ICSLP.1996.607906.

SILVA JR. L. Erro de leitura das vogais do inglês americano como língua estrangeira pelos falantes do português do Brasil. 2009. 69f. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Programa de Pós-graduação em Linguística, Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa (PB), 2009. Disponível em: < https://repositorio.ufpb.br/jspui/handle/tede/6496?locale=pt_BR>. Acesso em: 02 mai. 2020.

TRIOLA, M. Introdução à Estatística: Atualização da Tecnologia. 11 ed. São Paulo: Ed. Saraiva, 2014.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Campo do Saber

ISSN: 2447-5017

Centro Universitário Uniesp

Rodovia BR 230, Km 14, s/n, Morada Nova. Cabedelo - PB. CEP 58109-303