A EDUCAÇÃO INCLUSIVA SOB A VISÃO DE PROFESSORAS E CUIDADORAS DO ENSINO FUNDAMENTAL I

Catharine Leite Menezes, Francisca de Sousa Moura Filha, Estêvão Domingos Soares de Oliveira

Resumo


Nos últimos anos, muitas têm sido as discussões sobre educação inclusiva e a necessidade de se efetivar no ensino brasileiro essa inclusão. Apesar disso, e das políticas públicas criadas para garantir a inserção e permanência dos sujeitos com necessidades especiais na sala de aula, sabemos que muito ainda precisa ser feito no âmbito educacional, para que a inclusão aconteça de maneira integral. Partindo dessas considerações, o estudo investigou professoras e cuidadoras que atuam em uma escola pública de Ensino Fundamental I, no Município de Campina Grande, Paraíba, a fim de analisar a formação dessas profissionais, no que diz respeito à educação inclusiva; identificar quais são as concepções desses sujeitos sobre inclusão escolar; como também quais as maiores dificuldades e possíveis soluções encontradas por eles para efetivação da prática inclusiva. Para isso, elaboramos e aplicamos um questionário com cuidadoras e professoras; submetemos os dados obtidos à análise; por fim, evidenciamos os resultados. Como aporte teórico, recorremos às contribuições de Azanha (2006); EPD (2015); Freitas (2007); Gotti (1998); LDB (1996); Medrado (2016); Medrado e Celani (2017); entre outros. A pesquisa revelou que é necessário um maior investimento em formação continuada para educação inclusiva, revelou também que professoras e cuidadoras concebem a inclusão escolar sob diferentes aspectos e apresentam dificuldades parecidas para efetivar a prática da inclusão de maneira eficaz. Como sugestões de alternativas, uma das mais citadas pelos sujeitos da pesquisa foi a necessidade de formação continuada, infraestrutura e recursos pedagógicos adequados.

 

Palavras-chave: Educação inclusiva; formação de professor; ensino fundamental.


Texto completo:

PDF

Referências


AZANHA, José Mário Pires. A formação do professor e outros escritos. São Paulo: SENAC. 2006.

FREITAS, Alexandre Simão. Os desafios da formação de professores no século XXI: competências e solidariedade. In: FERREIRA, Andrea Tereza Brito. ALBUQUERQUE, Eliana Borges Correia. LEAL, Telma Ferraz. Formação continuada de professores. 1 Ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2007, p. 11-33.

BRASIL (1994). Declaração de Salamanca e linha de ação sobre necessidades educativas especiais. Brasília: CORDE.

Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado Federal: Centro Gráfico, 1988.

_________. (1996). Ministério da Educação e do Desporto Lei de diretrizes e bases da educação nacional. Brasília, DF.

GOTTI, M. O. (1998). Integração e inclusão: nova perspectiva sobre a prática da educação especial. Em M. Marquenzine (Org.), Perspectivas multidisciplinares em educação especial (pp.365-372). Londrina: Ed. UEL.

MEDRADO, B.P. Formando professores para incluir: Contribuições da Linguística Aplicada. In: A Linguística Aplicada no Brasil: Rumos e Passagens. Campinas, SP: Pontes Editores, 2016. p. 263-284.

SEVERINO, Antônio Joaquim. Metodologia do Trabalho Científico. In: Teoria e Prática Científica. 23. Ed. São Paulo: Cortez, 2007.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Campo do Saber

ISSN: 2447-5017

Centro Universitário Uniesp

Rodovia BR 230, Km 14, s/n, Morada Nova. Cabedelo - PB. CEP 58109-303