TEMPO DE PROFISSÃO E SINTOMAS MUSCULOESQUELÉTICOS NO FISIOTERAPEUTA

Larissa Silva de Souza, Raissa Bastos de Oliveira, Vanessa Cristine do Nascimento Barbosa, Patrick Alan de Souza Pfeiffer, Elamara Marama de Araujo Vieira

Resumo


O Fisioterapeuta está constantemente exposto a diversos fatores de risco para o surgimento de sintomas musculoesqueléticos diversos. Pensando nisto, este trabalho tem como objetivo identificar se o tempo de profissão afeta a localização e intensidade dos sintomas musculoesqueléticos no Fisioterapeuta. Para tanto, foi realizado um estudo transversal do tipo Survey, utilizando-se do questionário nórdico de sintomas musculoesqueléticos em que abordou-se 7 fisioterapeutas lotados em hospitais públicos da cidades de João Pessoa/PB. Os dados foram analisados usando o teste de hipóteses t de student executadas em software R, admitindo-se um α ≤ 0,05. Após análises obteve-se que o local em que mais frequentemente sentem dor, desconforto ou dormência foi em região de trapézio superior e tornozelos/pés, e os locais onde sentem maior intensidade de dor foram em região de trapézio superior e costas, entretanto não se pôde atrelar este sintoma ao tempo de profissão, fato razoável frente a muticausalidade deste acometimento.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Campo do Saber

ISSN: 2447-5017

Centro Universitário Uniesp

Rodovia BR 230, Km 14, s/n, Morada Nova. Cabedelo - PB. CEP 58109-303